Eleições 2022: Bolsonaro oficializa a saída de nove ministros

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, participa da abertura do 6º Congresso Internacional sobre Liberdades Civis Fundamentais.

Nove ministros deixam os cargos nesta quinta-feira (31) durante cerimônia no Salão Nobre do Palácio do Planalto, às 10h. Todos devem concorrer nas eleições deste ano. A lei determina que integrantes do Executivo devem deixar as funções em até seis meses antes do pleito.

Os ministros saem para disputar cargos para governos de Estados, Senado e Câmara dos Deputados. A maioria será substituída por os atuas secretários-executivos.

As exonerações, todas a pedido, foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (31).

Os ministros que anunciaram que estão se despedindo são:

  • Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos;
  • Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura;
  • Onyx Lorenzoni, do Trabalho e Previdência;
  • Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia;
  • Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional;
  • Tereza Cristina, da Agricultura;
  • Flávia Arruda, da Secretaria de Governo;
  • João Roma, da Cidadania;
  • Gilson Machado, do Turismo;

Braga Netto é o possível indicado para vice-presidência na chapa de Jair Bolsonaro, e também deve deixar o governo em breve.

O delegado Alexandre Ramagem, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) é outro que deixou o cargo. ainda sem nomeação de substituto. O secretário especial da Cultura, Mário Frias, também teve sua exoneração publicada no DOU desta quinta.

Entre os novos ministros estão Ronaldo Bento, secretário de Assuntos Estratégicos, para substituir João Roma; Carlos Brito, presidente da Embratur, para ocupar o lugar de Gilson Machado; e Marcelo Sampaio, atual secretário-executivo da Infraestrutura, na vaga de Tarcísio de Freitas.

No Ministério da Mulher, assume Cristiane Britto, atual chefe da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres.

Paraíba Master com informações da CNN Brasil