Irmãos Cid e Ciro Gomes são alvos de operação da PF para apurar suposto pagamento de propina nas obras da arena Castelão

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (15) uma operação, de nome “Colosseum”, para apurar fraudes, exigências e pagamentos de propinas a agentes políticos e servidores públicos durante os processos de licitação envolvendo a construção da Arena Castelão, em Fortaleza, entre os anos de 2010 e 2013. Entre os agentes políticos envolvidos na investigação estão os irmãos Cid Gomes, ex-governador do Ceará e Ciro Gomes (PDT), pré-candidato à presidência em 2022.

Ao todo, 80 policiais federais cumprem 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal, nas cidades de Fortaleza, Merouca e Juazeiro do Norte, todas no Ceará, além de São Paulo-SP, Belo Horizonte-MG e São Luís-MA.

Segundo a Polícia Federal, há indícios de pagamentos de R$ 11 milhões em propinas diretamente em dinheiro ou “disfarçadas de doações eleitorais”, com emissões de notas fiscais fraudulentas por parte de empresas fantasmas.

“As investigações tiveram início no ano de 2017, sendo identificados indícios de esquema criminoso envolvendo pagamentos de propinas para que uma empresa obtivesse êxito no processo licitatório da Arena Castelão e, posteriormente, na fase de execução contratual, recebesse valores devidos pelo Governo do Estado do Ceará ao longo da execução da obra de reforma, ampliação, adequação, operação e manutenção do Estádio Castelão. Apurou-se indícios de pagamentos de 11 milhões de reais em propinas diretamente em dinheiro ou disfarçadas de doações eleitorais, com emissões de notas fiscais fraudulentas por empresas fantasmas”, aponta a Polícia Federal.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de lavagem de dinheiro, fraudes em licitações, associação criminosa, corrupção ativa e passiva.