Campina Grande lança projeto de “Cidades Inteligentes” com ABDI e Sudene

Cidades Inteligentes tem por finalidade o desenvolvimento urbano dependente da tecnologia, da inovação e da globalização em diversas áreas de gestão. Pensando nisso, a Prefeitura de Campina Grande (PB), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), e a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) inauguraram, na última sexta-feira (04), o “Projeto Cidades Inteligentes”, uma iniciativa que integra soluções de tecnologia para modernizar a gestão da segurança pública local.

O presidente da ABDI, Igor Calvet, o superintendente interino da Sudene, Raimundo Gomes de Matos, o vice-prefeito Lucas Ribeiro, o deputado estadual Tovar Correia Lima; o deputado federal Pedro Cunha Lima, o superintendente da STTP, Carlos Dunga Júnior, a Secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Laryssa Almeida, entre outras autoridades, participaram da solenidade.

Para o desenvolvimento do projeto, foram instaladas 20 câmeras de videomonitoramento, software de reconhecimento facial com inteligência artificial, servidor para armazenamento de imagens e mais 4 câmeras capazes de identificar placas de veículos, operadas a partir do Central de Monitoramento da STTP. Os equipamentos contam com tecnologia de inteligência artificial russa e reforçarão  a gestão da segurança viária e pública do município. O Prefeito Bruno Cunha Lima informou:

“Por meio desse projeto, gestores conhecerão as funcionalidades das tecnologias de cidade inteligente e os resultados atrelados a elas, mesmo porque Campina Grande é referência no campo tecnológico. Assim, por meio da inovação, temos como meta melhorar a qualidade de vida do nosso povo e resolver os problemas ou demandas coletivos”, afirmou.

A Secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Laryssa Almeida, ressaltou a ação como resultado do “Programa Sandbox Regulatório de Campina Grande”, que foi criado através do decreto 4.592/2021, no início de julho.

“Desde o início do ano a SECTI acompanha junto a STTP os passos para concretização dessa parceria, que já tem resultados concretos com a promoção de dois cursos para qualificação dos servidores municipais em “Cidades Inteligentes” e “Sandbox Regulatório”. Sandbox são espaços experimentais para novas tecnologias, utilizando dados e sujeitos reais. Agora vamos nos voltar para efetivação de um “Living Lab”, um verdadeiro laboratório vivo, que reunirá todos os agentes de inovação de Campina Grande. Universidades, empresas, associações e demais entidades envolvidas com processos de inovação. Campina avança a cada dia, em direção ao novo conceito de desenvolvimento urbano. Queremos uma Campina cada vez mais humana, inteligente e  conectada”, salientou a secretária.

A instalação e a manutenção das câmeras, por um período de dois anos, não gerarão custos ao erário municipal. Após esse período, o material será doado à PMCG. Com esse equipamento adquirido, a STTP passará a contar com 39 câmeras de monitoramento, o que vai facilitar o trabalho de fiscalização e planejamento de trânsito em Campina Grande.

 

O superintendente da STTP, Carlos Dunga Júnior, explicou que a ampliação do monitoramento viário é fator positivo em diversos aspectos.

 

“A utilização das tecnologias é fator essencial para um gerenciamento eficiente do trânsito e do transporte. Com essas novas câmeras, poderemos acionar equipes com mais rapidez para solucionar problemas de congestionamentos e acidentes. Além disso, os equipamentos são importantes para contribuir com a segurança pública, já que as imagens são utilizadas pelas polícias em diversas investigações”, explicou Dunga.

 

De acordo com Igor Calvet, presidente da ABDI, o projeto contribui para a modernização da gestão da segurança pública de Campina Grande, uma vez que os agentes públicos passarão a contar com a ajuda da tecnologia para aprimorar o dia a dia de sua atuação, reduzindo, assim, os índices de criminalidade na região central da cidade. O projeto de Campina Grande terá uma área de demonstração e de testes de tecnologias, com foco em segurança pública, que podem ser replicadas em outras cidades, trazendo grandes benefícios para a população e para a cadeia produtiva nacional, que ganha um novo nicho de atuação.