Fluminense sai na frente, sofre virada e pressão no fim, mas garante classificação às oitavas da Copa do Brasil

Em jogo aceleradíssimo, o Fluminense sofreu a virada, perdeu por 2 a 1 para o Bragantino, mas avançou às oitavas de final da Copa do Brasil. Após vencer o primeiro jogo por 2 a 0, no Maracanã, o Tricolor podia perder até por um gol de diferença na noite desta quarta-feira, no Estádio Nabi Abi Chedid. Dito e feito.

Após primeiro tempo equilibrado, o Tricolor abriu o placar aos 15 da segunda etapa com Nenê, que cobrou falta na gaveta de Júlio César. Pelo Bragantino, Hurtado saiu do banco de reservas para colocar fogo na partida: empatou aos 22 e virou aos 42. Os minutos finais, então, foram de pressão do Massa Bruta, que tentou, mas não conseguiu chegar ao terceiro – que levaria a decisão para os pênaltis. Assista aos melhores momentos:

FIM DE JEJUM

Com a classificação, o Fluminense não só avançou às oitavas da Copa do Brasil, mas também colocou fim a um incômodo jejum: não eliminava um clube da Série A no torneio mata-mata há seis anos. A última vez havia sido em 2015, quando bateu o Grêmio nas quartas de final.

O VÔ TAVA ON

Aos 39 anos – quase 40 -, Nenê foi mais uma vez decisivo para o Fluminense. Aos 15 minutos do segundo tempo, o meia cobrou falta com muita categoria e acertou o ângulo esquerdo do goleiro Júlio César. A bola ainda trincou a trave antes de entrar. Golaço que garantiu a classificação tricolor.

HURTADO TAMBÉM ENTRA LIGADO

Que noite do venezuelano! Hurtado entrou aos 21 do segundo tempo no lugar de Helinho e mudou o jogo. No primeiro toque na bola, já empatou a partida e, aos 42, deu esperança ao Bragantino de levar a decisão para os pênaltis. Com dois gols, foi o nome do Massa Bruta, que apesar da eliminação, fez grande jogo.

PRIMEIRO TEMPO

Bragantino e Fluminense fizeram primeiro tempo equilibrado e não saíram do 0 a 0. Precisando reverter o resultado, os donos da casa tiveram mais posse de bola e rondaram mais à área de Marcos Felipe, mas esbarraram em uma defesa tricolor compacta e organizada. A alternativa encontrada foi arriscar de longe: foi assim duas vezes com Artur, uma com Ytalo e um foguete, no finzinho, com Jadsom, que obrigou o goleiro adversário a trabalhar. O Flu, por sua vez, se defendia bem e tentava explorar os contra-ataques. Levou bastante perigo com Biel, após cobrança de escanteio, e com Martinelli, que por pouco não marcou um golaço. Apesar de criar menos, foi o Tricolor que chegou com mais perigo.

SEGUNDO TEMPO

O jogo continuou movimentadíssimo na segunda etapa. Com estratégias parecidas, as duas equipes repetiam o cenário do primeiro tempo até que, aos 15, Nenê abriu o placar em linda cobrança de falta. O Bragantino se lançou com mais sede ao ataque e começou a pressionar: chegou ao empate aos 22, criou chances e, aos 42, marcou o segundo – Hurtado foi o autor dois dois. Os minutos finais foram de pressão total do Massa Bruta, que arriscou de longe e cruzou bastante na área, mas não conseguiu o objetivo. O Fluminense se segurou da forma que deu e garantiu a classificação.

AGENDA DOS TIMES

As duas equipes voltam a se encontrar no próximo domingo, às 20h30 (de Brasília), de novo no Estádio Nabi Abi Chedid, mas dessa vez pela terceira rodada do Brasileirão.